Buscar
  • Cleber Puerta

Imposto de Renda

Atualizado: Mar 2

Neste artigo nós reunimos algumas coisas que você precisa saber sobre Imposto de Renda. Enfrentar o Leão (animal escolhido para ser mascote do IR) não é uma tarefa fácil, mas aqui você será informado para declarar sua renda com segurança e evitar de receber multas ou qualquer outro problema.


O QUE É IMPOSTO DE RENDA?


Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda - Pessoa Física (DIRPF) é uma obrigação anual de cada contribuinte do imposto, segundo as normas estipuladas pela Receita Federal do Brasil (RFB). O valor é cobrado de acordo com a declaração feita, logo, os cidadãos com o lucro maior pagam mais impostos e os de lucro menor pagam menos impostos.

O Imposto de Renda é uma tributação para organizações e pessoas, desta forma, o IR se divide em duas categorias: Imposto de Rendas para pessoas físicas (IRPF) e Imposto de Renda para pessoas jurídicas (IRPJ). Abaixo, iremos explicar alguns detalhes sobre essa divisão:




IMPOSTO DE RENDA PARA PESSOAS FÍSICAS (IRPF):


Esse imposto incide sobre as rendas e proventos de contribuintes residentes no país ou no exterior que recebem de fontes brasileiras.

O percentual varia de acordo com a renda, deste modo são isentos de cobranças aqueles que ganham abaixo do valor estabelecido para declaração obrigatória anual.


IMPOSTO DE RENDA PARA PESSOA JURÍDICA (IRPJ):


Este imposto atinge as empresas brasileiras. Neste caso, a alíquota (percentual a ser pago) incide sobre o lucro da empresa, que pode ser real, presumido ou arbitrado dependendo da atividade realizada na empresa.


COMO FUNCIONA O IR?


O imposto de renda é mensalmente represado no salário ou pago com base em outros rendimentos dos brasileiros. A declaração obrigatória anual, é uma forma da Receita Federal verificar se o cidadão está pagando mais ou menos impostos do que é pedido.

Em 2020, por exemplo, você descreve os ganhos e gastos que obteve em 2019. Quando a Receita detecta que o contribuinte pagou menos impostos do que o estipulado, ele precisa compensar.

O valor é informado assim que a declaração é preenchida. O pagamento pode ser feito por boleto bancário ou débito automático.

Para declarar, é preciso descrever todos os ganhos concedidos no ano anterior. A seguir, estão alguns dos ganhos que devem ser declarados:

Aluguéis;

Aposentadoria;

Investimentos;

Jóias acima de 5 mil reais;

Veículos;

Imóveis;


ENTREGA DA DECLARAÇÃO

A Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física pode ser entregue a partir do dia 2 de março até o dia 30 de abril. Após esta data, o contribuinte que apresentar a declaração incorre em uma multa pelo atraso.



QUEM DEVE DECLARAR IMPOSTO DE RENDA?


Pessoas físicas que moram no Brasil e receberam rendimentos tributáveis superior a R$ 28.559,70 em 2019;


Contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados de forma exclusiva, onde a soma tenha sido maior que R$ 40.000,00 em 2019;


Quem obteve, em qualquer mês de 2019, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;


Cidadãos que tiveram posse, dia 31 de dezembro de 2019, de bens ou direitos que contabilizam valor superior a R$ 300.000,00;


Cidadãos que, em 2019, tiveram receita bruta estimada no valor de R$ 142.798,50;

Cidadãos que realizaram investimentos na bolsa de valores.




QUEM NÃO PRECISA DECLARAR IMPOSTO DE RENDA?


De acordo com as regras impostas pela Receita Federal, estão isentas do IRPF 2020 pessoas que tiveram rendimentos abaixo de R$ 28.559,70 em 2019. Porém, há casos em que o cidadão pode pedir isenção e estes casos estão descritos no site oficial do órgão. A seguir, nós vamos citar alguns deles:

Pessoas portadoras de doenças graves, incluindo AIDS, alienação mental, cardiopatia grave, cegueira, esclerose múltipla e outras 11 patologias.

Pessoas com rendimentos relativos a aposentadoria, pensão ou reforma.

Para solicitar a isenção do IR, é preciso apresentar um laudo pericial.


COMO DECLARAR IMPOSTO DE RENDA?


A declaração pode ser feita de duas maneiras:


Simples: Nas declarações simples, a Receita aplica um desconto padrão de 20% sobre todos os rendimentos tributáveis recebidos em 2019.

Portanto, ela é indicada para os contribuintes cujas despesas dedutíveis – ou seja, gastos que podem ser abatidos do cálculo do IR – forem menores que 20% do total de receitas tributáveis ou cujos rendimentos tributáveis sejam de no máximo R$ 16.754,34.


Completa: No modelo completo de declaração, todas as possibilidades de abatimento do imposto são consideradas — gastos com educação, saúde, dependentes, contribuição para previdência privada, entre outros. O desconto de imposto poderá ser menor que 20% e a restituição, maior.


Você pode contratar um contador para te auxiliar na declaração do IR. Entre em contato com a equipe da Giro para mais informações.

5 DICAS PARA DECLARAR IMPOSTO DE RENDA:


PREPARE TODA A DOCUMENTAÇÃO


Qualquer documento esquecido pode gerar contratempos, por isso organize toda a papelada antes do prazo exigido. Alguns documentos exigidos são:

RG, CPF, título de eleitor, comprovante de residência;

Rendimento salarial obtido como empregador;

Rendimento bancário;

Comprovações de renda ( heranças, doações, resgates do FGTS, indenizações entre outros)

Recibos e notas fiscais das deduções ( gastos com saúde e educação)

Comprovante de aluguel (válido para locador e locatário)


PROCURE UM PROFISSIONAL PARA DECLARAR O IR


Se é a primeira vez que você vai declarar o IR, é importante buscar ajuda de um profissional para não cometer erros e se você já declara e não quer se preocupar com as burocracias, conte com os contadores da Giro consultoria contábil. Nossos contatos estão no final do artigo.


FAÇA O CONTROLE DOS SEUS BENS O ANO TODO


Sabemos que o ser humano é um procrastinador por natureza. Porém, quando nos organizamos, tornamos as tarefas muito mais fáceis. Em vez de ficar dias e dias buscando diversos documentos e organizando as informações nas vésperas da declaração, faça pequenos controles no momento que ocorrem.

Por exemplo, se você comprar um carro separe 10 minutos do seu dia para anotar as informações necessárias para a declaração. Anote a placa, valor pago, marca e modelo.


DEDUÇÃO DO IR


A dedução é uma quantia que pode ser abatida da base de cálculo durante a declaração, ou seja, algumas despesas podem reduzir o pagamento do IR, são elas:

Doações;

Saúde;

Educação;

Previdência privada, entre outros.


NÃO CAIA NA MALHA FINA


Malha fina é o procedimento para verificar erros na declaração de imposto de renda. Para vocês entenderem melhor, separamos situações que levam o indivíduo a malha fina:

Omissão de salários de empregos anteriores;

Omissão de recebimento de aluguéis;

Incluir dependentes de forma incorreta;


O QUE DEVE SER DECLARADO?


No Imposto de Renda, você deve declarar tudo o que ganhou e pagou no ano anterior. É preciso informar ganhos referentes à venda de bens, aluguéis, reformas em imóveis e despesas com construções. Fontes alternativas de renda também devem ser listadas.

Além disso, o contribuinte precisa informar à Receita todos os bens e direitos que faziam parte de seu patrimônio até 31 de dezembro do ano base.


PARA ONDE VAI O DINHEIRO ARRECADADO?


Conforme o portal da Receita Federal, os impostos devem ser destinados a programas de geração de emprego e de inclusão social, tais como: plano de reforma agrária; crédito rural para expansão da agricultura familiar; plano de construção de habitação popular; saneamento e reurbanização de áreas degradadas nas cidades.

Outra parte dos impostos arrecadados, ainda segundo a Receita, deve ser direcionada à construção e recuperação de estradas; em investimentos em infraestrutura; construção de portos e aeroportos; incentivos para a produção agrícola e industrial; em segurança pública; estímulo à pesquisa científica; ao desenvolvimento de ciência e tecnologia; cultura e esporte, e à defesa do meio ambiente.


IR RETIDO NA FONTE:


O Imposto de Renda Retido na Fonte é o desconto aplicado mensalmente pela Receita Federal sobre a remuneração do trabalhador assalariado. Isso acontece sempre que seus vencimentos ultrapassam um teto estabelecido pelo próprio órgão.

O cálculo do IRPF leva em consideração o desconto no salário destinado ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o número de dependentes do trabalhador. Para cada dependente (seja cônjuge, filhos, enteados) é abatido o valor de R$ 189,59 mensais.

Dessa forma, percebe-se que o cálculo do valor descontado considera a quantia bruta, menos o INSS e os dependentes, o que fornecerá o valor do salário-base. Sobre esse resultado, é aplicada a alíquota correspondente ao IRRF, que definirá a quantia a ser repassada à Receita.


RESTITUIÇÃO DO IR:


A restituição do Imposto de Renda ocorre quando a Receita Federal detectou que o contribuinte pagou mais impostos do que deveria. Assim, ele tem direito a receber de volta parte do valor. A quantia é devolvida até o mês de dezembro do mesmo ano em que foi declarada.


O calendário de restituições começará mais cedo neste ano. O primeiro lote está programado para o dia 29 de maio, com o último lote previsto para 30 de setembro.

Veja abaixo o calendário de restituições em 2020:


1º lote: 29 de maio de 2020;

2º lote: 30 de junho de 2020;

3º lote: 31 de julho de 2020;

4º lote: 31 de agosto de 2020;

5º lote: 30 de setembro de 2020.


BENEFÍCIOS:


Linhas de crédito:


As linhas de crédito são quantidades de dinheiro pré-determinadas e liberadas ao consumidor quando o mesmo precisa de recursos financeiros imediato. Podem ser utilizadas como benefício no Imposto de Renda porque desta forma, o autônomo, por exemplo, não precisa declarar o IR e não consegue comprovar renda para conseguir linhas de crédito para comprar imóvel, por exemplo e fazendo a declaração do IR sua renda é comprovada facilitando o financiamento de algo.

outros benefícios:

Se você declarar o IR com antecedência, pode receber a restituição mais rápido;

Para quem planeja comprar um imóvel financiado, a declaração é exigida para obter aprovação.


MULTA:


O contribuinte que perder o prazo estará sujeito à multa de 1% sobre o valor total do imposto devido. A cobrança mínima pelo atraso foi fixada em R$ 165,74 e poderá atingir o valor máximo de até 20% do valor do imposto devido. O prazo é de 7 de março a 30 de abril de 2019.



Para facilitar a declaração do imposto de renda, conte com a Giro Consultoria Contábil, uma empresa competente e eficaz na resolução de problemas e auxílio em situações contábeis.

(11) 94744-4922

@cleberpuerta

314 visualizações
  • YouTube
  • Facebook ícone social
  • Instagram

(11) 94744-4922

Rua Vigínia de Miranda, 309 - Jardim Norma - São Paulo

Desenvolvido por  Giro Empreendedor

botão_whatsapp_site.png